Mato Grosso,
Segunda-feira,
21 de Outubro de 2019
informe o texto a ser procurado

Notícias / Saúde

19/07/2017 | 08:28

Governador e prefeito de Cuiabá discutem situação dos hospitais filantrópicos

Da Redação

Governador e prefeito de Cuiabá discutem situação dos hospitais filantrópicos

Foto: Divulgação

O governador Pedro Taques esteve reunido com o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, e representantes dos hospitais filantrópicos da capital nesta terça-feira (18.07), no Palácio Paiaguás, para debater o endividamento e déficit dos repasses para as respectivas entidades.

Com o grande impacto do custeio dos hospitais como tema central da reunião, os envolvidos explicaram ao governador que estão com as contas no limite.

Após o debate, o secretário adjunto da pasta de Saúde, Wagner Simplício, afirmou que será necessária uma revisão das contas internas para adequar a situação.

“Os hospitais filantrópicos apresentaram para o Estado seus déficits, pedindo então um aporte para a Secretaria de Estado de Saúde. Da mesma forma, nós colocamos as dificuldades que existem hoje no Governo do Estado, na Secretaria de Saúde, e o esforço que nós estamos tendo no sentido de buscar o equilíbrio das contas, fiscal e orçamentário, para diminuir os custos e garantir a credibilidade junto aos fornecedores e compras de serviços e, assim, manter o fluxo”, explicou Wagner Simplício.

O secretário adjunto pontuou que há um impasse para que se possa encontrar um novo recurso que venha a sanar a situação. “Sem novo dinheiro para o governo e para a Secretaria de Saúde, não há como aumentar o endividamento da Secretaria e resolver esse déficit. Portanto, chegamos à conclusão de que existe a necessidade de revermos as nossas contas internas. O governo fará o seu dever de casa”.

Simplício argumentou que há uma solicitação do prefeito de Cuiabá para que seja realizado um estudo interno com a equipe técnica tanto no governo do Estado quanto na prefeitura. “Nós vamos fazer todo esforço no estudo das contas das entidades filantrópicas para que possamos verificar a possibilidade de haver alguma transferência extra” disse, salientando que o Estado passa por dificuldades orçamentárias.

Atualmente, as entidades precisariam de R$ 5 milhões por mês para manter as contas em dia. “Hoje, R$ 8 milhões é o valor para se transferir para atenção básica aos municípios”, salientou o adjunto da Saúde.

Emanuel Pinheiro afirmou que sua gestão está afinada com o governo do Estado e se colocou como parceiro na solução do problema com as entidades filantrópicas. "Temos que nos unir cada vez mais para superar essa tempestade e essa instabilidade na saúde pública. Os filantrópicos são fundamentais para garantir uma saúde pública humanizada. Eles atendem o interior do Estado, então é hora de cada um reunir a sua equipe, tentar esticar a corda e buscar as alternativas para evitar que a saúde pública entre em colapso com a instabilidade na situação dos filantrópicos”, disse ele.

Ambos deverão se reencontrar essa semana, após reuniões com suas respectivas equipes econômicas, para debater as alternativas.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Assista Ao Vivo
 
Sitevip Internet