Mato Grosso,
Sábado,
20 de Abril de 2019
informe o texto a ser procurado

Notícias / Menos é mais

28/01/2019 | 11:12

Estado anuncia "futuro" do VLT em menos de 1 ano; paradas serão reduzidas

Folha Max

O “futuro” para o VLT de Cuiabá e Várzea Grande deve ser anunciado nos próximos meses. É o que garante o secretário de Infraestrutura do Estado, Marcelo de Oliveira, que informou que o prazo dado pelo governador Mauro Mendes (DEM) sobre a retomada, ou não, da obra será adiantado.

Segundo o secretário, o estudo para a continuidade das obras do VLT está sendo realizado e logo será concluído. Porém, ele adiantou que o foco, além a conclusão da obra, também é resolver os problemas para operação do sistema. “Estamos fazendo este estudo, mas só o estudo não adianta. Nós não podemos ficar um ano de estudo, estamos fazendo agora para poder resolver o problema com a construtora e com sistema operacional. Não adianta a obra ficar pronta e o trem parado, concluir a obra e não operar o sistema”, disse o secretário em entrevista a Rádio Capital, nesta manhã, em Cuiabá.

O gestor contou que a equipe da Secretaria de Infraestrutura está trabalhando para a conclusão do VLT e reformulando o projeto por meio deste estudo. Como exemplo, citou que os pontos de parada de Várzea Grande serão reavaliados para que facilite o trânsito e a mobilidade dos transeuntes. “Estamos fazendo as tratativas da diminuição dos pontos de parada do VLT em VG. Estamos colocando três pontos para o VLT, como de um ônibus. E trabalhando nisso, para fazer recalculo das obras, para que este VLT se torne acessível para construção e operação”, explicou.  

O governador Mauro Mendes levantou a bandeira duramente em sua campanha eleitoral, que precisava de um ano para estudar como ficaria o VLT e qual seria o futuro da obra. Após vitória nas urnas, ele seguiu com o mesmo discurso e pediu a contribuição da sociedade neste tempo. 

Obras da Copa

Em 2015, um ano após a Copa do Mundo no Brasil, restavam inacabadas 20 obras que deveriam ter ficado prontas. Na gestão do ex-governador Pedro Taques (PSDB), 11 obras foram entregues, entre elas a trincheira do Verdão, o viaduto do Tijucal, a trincheira Santa Rosa, em Cuiabá, além da revitalização do Complexo da Salgadeira, entre a capital e Chapada dos Guimarães.

O projeto do VLT foi orçado em aproximadamente R$ 1,4 bilhão. O contrato com o consórcio VLT foi rescindido após um processo administrativo aberto pelo Governo do Estado por conta da delação do ex-governador Silval Barbosa, que confessou ter recebido propina na execução das obras. 

Marcelo Oliveira garante que todas as obras iniciadas em todos os municípios serão concluídas, e em relação às obras que ficaram da copa,  ele destaca que estudos estão sendo realizados em cima de todos os projetos e todos terão um encaminhamento. “Estamos trabalhando em nossas prioridades, e vamos concluir todas as obras iniciadas nos municípios”.
 
Assista Ao Vivo
 
Sitevip Internet