Mato Grosso,
Quarta-feira,
21 de Agosto de 2019
informe o texto a ser procurado

Notícias / Brasil

08/02/2019 | 16:18

Alojamento do Flamengo que pegou fogo não tem licença da Prefeitura do Rio

Alojamento do Flamengo que pegou fogo não tem licença da Prefeitura do Rio

Foto: Reprodução

A Prefeitura do Rio afirmou que o dormitório que pegou fogo no Ninho do Urubu nesta sexta-feira (8), causando a morte de 10 pessoas, não tem licença municipal. "A área de alojamento atingida pelo incêndio não consta do último projeto aprovado pela área de licenciamento, no dia 5 de abril de 2018, como edificada", diz em nota.

O município informou que a atual licença do CT tem validade até 8 de março deste ano e que "não há registros de novo pedido de licenciamento da área para uso como dormitórios".

"Por determinação da legislação em vigor, a coordenação de licenciamento informa que só há inspeção neste tipo de edificação em casos de denúncia", acrescenta. A Prefeitura vai determinar a abertura de um processo de investigação para apurar as responsabilidades.

O alojamento atingido era dentro de um contêiner. Imagens postadas por atletas em redes sociais mostram como era o dormitório por dentro.

Bombeiros

Já o Corpo de Bombeiros afirma que o CT ainda não possuía documentação definitiva da corporação. O local está em processo de regularização de documentos junto ao órgão, o que significa que ainda não possui o Certificado de Aprovação.

O certificado de aprovação atesta a existência e o funcionamento dos dispositivos contra incêndio previstos pela legislação vigente. A documentação não tem relação com o alvará de funcionamento (estabelecimentos comerciais) ou habite-se (imóveis residenciais), documentos que são emitidos pela prefeitura.

O delegado da 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes), Márcio Petra, afirmou que dois funcionários do Flamengo foram ouvidos no Ninho do Urubu: um segurança e um monitor. Outros atletas da base do clube vão ser ouvidos ainda nesta sexta-feira (8).

As chamas atingiram as instalações onde dormiam jogadores entre 14 e 17 anos que não residiam no Rio. A suspeita é que um curto-circuito em um ar-condicionado foi a causa do incêndio. Eram seis contêineres interligados que serviam de dormitórios.

Em 2018, ano de inauguração do novo módulo profissional, a estrutura pré-existente foi deixada para as categorias de base e, para o futebol profissional, foi disponibilizado um novo módulo, com novos alojamentos, um parque aquático, academia e mais um campo de futebol (totalizando cinco).

Morreram no incêndio*:

Athila Paixão
Arthur Vinícius de Barros Silva Freitas
Bernardo Pisetta
Christian Esmério
Jorge Eduardo Santos
Pablo Henrique da Silva Matos
Vitor Isaías
Samuel Thomas Rosa
Gedson Santos
*mais 1 morte está confirmada, mas o nome ainda não foi divulgado para que a família seja avisada antes.
 
Assista Ao Vivo
 
Sitevip Internet