Mato Grosso,
Domingo,
15 de Setembro de 2019
informe o texto a ser procurado

Notícias / Brasil

04/09/2019 | 09:47

Bolsonaro chama de "babaquice" reação de membros da PF , diz jornal

Bolsonaro chama de

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro chamou de "babaquice" a reação de integrantes da Polícia Federal a declarações dele sobre trocas na corporação e disse que já conversou com o ministro da Justiça, Sergio Moro, sobre possível mudança na direção da PF, que afirmou precisar de uma "arejada", de acordo com entrevista ao jornal Folha de S.Paulo publicada nesta quarta-feira (4).

“Essa turma (que dirige a PF) está lá há muito tempo, tem que dar uma arejada”, disse Bolsonaro à Folha, acrescentando que já está "tudo acertado com Moro" sobre uma possível mudança na direção da PF, que é subordinada ao ministro da Justiça.

Bolsonaro provocou uma crise com Moro e a PF no mês passado ao indicar uma troca na chefia da Superintendência da PF no Rio de Janeiro, unidade que investiga seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Depois, questionado sobre uma possível ingerência no órgão, o presidente disse que era ele quem mandava na PF e, se fosse o caso, poderia mudar o próprio diretor-geral da corporação, Maurício Valeixo.

O presidente posteriormente usou um evento no Palácio do Planalto para elogiar Moro e tentar acalmar o desgaste.

Na entrevista à Folha, Bolsonaro disse que mudanças feitas em superintendências da PF foram a razão de sua crítica à direção da polícia. “O motivo foi a troca de 11 superintendentes sem falar comigo. Fui sugerir para o Rio um de Manaus, aí teve essa reação toda. Isso é babaquice”, afirmou.

O presidente ainda negou que sua interferência na PF tenha relação com investigações envolvendo seu filho Flávio. “Já investigaram a vida da minha família inteira e não acharam nada”.

Segundo a Folha, Bolsonaro disse que não há, por enquanto, nenhuma definição sobre prazo de troca na PF, apesar de sua insatisfação.

Além de falar na troca do comando da PF, Bolsonaro disse que deve anunciar até esta quinta-feira (5) o nome de quem vai comandar a PGR (Procuradoria-Geral da República).

Segundo ele, o escolhido sairá "do bolo" de candidatos que o visitaram na última semana e terá de ser alinhado com ele. E descartou indicar o subprocurador da República Alcides Martins, vice-presidente do Conselho Superior do Ministério Público Federal, que poderia assumir interinamente, após o dia 17 deste mês, quando termina o mandato da atual chefe da PGR, Raquel Dodge.
 
Assista Ao Vivo
 
Sitevip Internet