Mato Grosso,
Domingo,
15 de Setembro de 2019
informe o texto a ser procurado

Notícias / Variedades

09/09/2019 | 09:46

Café solidário alimenta a alma e o corpo de pessoas em situação de rua na capital

Olhar Direto

Café solidário alimenta a alma e o corpo de pessoas em situação de rua na capital

Foto: Reprodução

O que seria apenas uma pesquisa para uma tese de doutorado em 2016, se tornou um dos mais simbólicos exemplos de amor ao próximo na capital mato-grossense. O Projeto Café Solidário, idealizado pelo professor de filosofia do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Juliano Batista dos Santos, distribui alimento e afeto para pessoas em situação de rua todos os sábados, às 7h na Praça da República, em Cuiabá. Com café, leite, chá, pães e bolachas, o grupo de voluntários formado por cerca de 10 pessoas, alimenta física e emocionalmente, cerca de 90 pessoas todos os sábados.

O número de pessoas que moram nas ruas tem crescido em Cuiabá. Mesmo sem dados precisos, já que essa população é flutuante e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) não realiza nenhum levantamento sobre esses dados, o aumento é nítido. Além das pessoas nessas condições, a capital também recebe inúmeros imigrantes e pessoas do interior do Estado que buscam uma oportunidade e que não dispõem de muitos recursos financeiros.  

Pensando nisso, Juliano contou que decidiu fazer a sua tese de doutorado sobre As Funções Corporais e Táticas de Sobrevivência dos Moradores de Rua em Cuiabá. Para se aproximar da população em situação de rua, o professor decidiu levar um café para essas pessoas para conhecer um pouco mais da história pessoal de cada um. “A ideia surgiu em meados de 2016 e foi tão impactante a demanda e as histórias que eu pensei: mais do que estudar a condição dessas pessoas ou vou auxiliá-las”, afirma.

No início ele contava apenas com a ajuda da esposa, Alyne Ramos de Campos e juntos preparavam o café em casa e seguiam para a praça para oferecer as pessoas, mas com o passar do tempo o número de pessoas em situação de vulnerabilidade foi crescendo e o casal precisou abrir o projeto para receber ajuda financeira e doações de pessoas de fora.

Atualmente o grupo conta com cerca de dez voluntários fixos que ajudam financeiramente, com doações de alimentos e até mesmo servindo o café para as pessoas. Entre as formas de ajudar o projeto, Juliano destaca que incentiva as pessoas a doarem os alimentos ao invés do dinheiro.

“Acho legal as pessoas irem até o supermercado para comprar os produtos para a doação porque tem um gesto simbólico nisso porque o dinheiro pelo dinheiro fica muito seco, então a gente tenta dar uma forçadinha para as pessoas para comprar essas coisas porque ela passa por um processo de preocupação na hora que ela vai comprar porque se questionam se eles vão gostar disso ou daquilo”, diz.

Os cafés são realizados na Praça da república por ser uma região que concentra o maior número de pessoas em situação de rua. Os alimentos começam a ser distribuídos às 7h e, muitas vezes, acabam em menos de uma hora devido a grande quantidade de pessoas.

São preparados 9,5 litros de café, 12 litros de leite, 5 litros de chá, achocolatado, 100 pães, uma assadeira de bolo, biscoitos e bolachas. Além dos alimentos o grupo realiza campanhas para a arrecadação de roupas e calçados para serem distribuídos para essas pessoas.

Quem quiser e puder ajudar, pode entrar em contato com o Juliano através do telefone: (65) 98108-3232 ou através da pagina no Facebook.
 
Ações

A Câmara Municipal de Cuiabá realizou uma audiência pública no último dia 28 de agosto para debater ações do município voltadas para pessoas em situação de rua. O objetivo foi implementar ações para melhoria da qualidade de vida das pessoas em situação de rua no município. Para tanto, a audiência pública contou com a participação de entidades da sociedade civil organizada, representantes do Executivo, ale da população em geral.
 
Assista Ao Vivo
 
Sitevip Internet